Banner Submarino

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

[RESENHA] Kiki Strike — Kirsten Miller


Autor: Kirsten Miller
Editora: Galera Record
Ano: 2006
Páginas: 445
Minha Edição: 1

"A vida da jovem Ananka Fishbein nunca mais será a mesma. O que parecia um simples exercício de reconhecimento do território ao redor do seu apartamento em Nova York transforma-se numa aventura de vida ou morte. Descendo muitos metros abaixo da superfície que conhecemos, Ananka chega a uma misteriosa sala. O lugar dá arrepios e parece que ela descobriu algo grandioso e até então secreto. Mas a garota não poderia imaginar que, sem querer, ela achara o caminho para a esquecida Cidade das Sombras, um lugar incrível e também perigoso, que repousa sob a agitada vida de Manhattan - isso mesmo, uma cidade inteira construída embaixo das ruas e avenidas da Big Apple!

Mas isso não é tudo. As coisas ficam ainda mais enigmáticas depois que Ananka conhece Kiki Strike, uma menina pálida que só veste preto, dirige uma Vespa, mesmo sendo menor de idade, e parece se alimentar apenas de café-au-lait. Kiki, uma jovem espiã, já sabia da existência da Cidade das Sombras  - uma espécie de labirinto secreto que serviu de esconderijo e rota de fuga para mafiosos e ladrões no século XIX.
"


 Certo. Isso é muito difícil. To me sentindo muito pressionada por resenhar um dos meus livros preferidos de todos os tempos. É que eu sei que a maioria de vocês lerá isso daqui, pensará "bacana, parece ser legal, eu até que leria" e fim, enquanto eu exijo  adoraria que vocês saíssem correndo agora até a livraria mais próxima e comprassem. E começassem a leitura na rua, no caminho de volta para casa, e não parassem até terminar. E depois viciassem todos os seus conhecidos. 

Agora é a hora em que eu justifico o porquê de tanta paixão: é um livro real e surreal ao mesmo tempo. Eu sei que a palavra para isso é  verossímil, mas a resenha é minha e faço como eu quiser.  A autora escreve tão bem que você acredita em cada palavra. Eu acredito do fundo do meu coração que existe uma cidade embaixo de Nova York. 

Tem infinitas  dois aspectos da história que me cativaram: as personagens, as listas e os acontecimentos.

A Kiki Strike por  seria capaz de sustentar o livro sozinha, com todos os seus mistérios, ar de espiã, dramas familiares, dieta curiosa e a Vespa (meu sonho é ter uma por causa dela), mas a autora não se contentou em criar apenas uma personagem sensacional - ela fez seis. 

Cada escolhida por Strike para compor as Irregulares possui uma habilidade inusitada: uma é hacker, uma é química, uma mecânica (não de carro, de fazer qualquer coisa), uma especialista em maquiagens e disfarces, que está sempre irreconhecível e a Ananka, que narra a história, e além de possuir livros sobre absolutamente tudo em casa, é uma grande observadora. 

O segundo aspecto é que no final de cada capítulo tem uma lista com dicas para as mais variadas coisas. Desde "como identificar uma mentira" até "como seguir alguém sem ser apanhado", passando por "como planejar uma rota de fuga" e "como dar bons chutes". O legal é que os itens não são estúpidos como os das revistas adolescentes, são sugestões reais, pertinentes e aplicáveis. Vou copiar aqui no final da resenha uma dessas listas, para quem estiver interessado e ainda aguentar ler esse post. 

Já li esse livro umas cinco vezes e só de escrever a resenha fiquei com vontade de ler de novo. É muito bom, gente, de verdade. Então leiam, ok?

"Ok, dona Mel"

Tá, agora que vocês já leram, tem a continuação!! EBAAA! Chama A Tumba da Imperatriz e também foi lançada pela Record. Esse eu só li duas vezes, mas vale a pena assim mesmo. 


E é isso, gente.

Leiam. Sério. 









Conforme prometido:


Como contar uma mentira (p. 204)

Como você aprendeu no Capítulo 2, há muitos truques que você pode usar para identificar uma mentira. Infelizmente, você não é a única pessoa que sabe disso. Então, quando se vir em uma situação em que contar uma ou duas mentirinhas insignificantes seja do interesse do bem comum, é uma excelente ideia se prender às seguintes diretrizes:


  1. Procure sempre ser você mesma. Seus amigos e familiares sabem como você costuma se comportar, então eles rapidamente vão perceber se você começar a suar, falar rápido demais ou gesticular muito - a não ser que você sempre seja assim. 
  2. A prática leva à perfeição. Se você tiver que contar uma mentira, pratique diante de um espelho até que esteja tão familiarizada que possa repetir a mentira dormindo. Assim, quando chegar a hora, você estará perfeitamente controlada e não terminará tropeçando nas palavras.
  3.  Quanto mais detalhada for sua história, melhor. Pode parecer meio suspeito você dizer: "Eu não roubei esse artefato inestimável do museu porque fiquei com a minha amiga Betty o dia todo". Em vez disso, procure tornar sua mentirinha mais interessante: "Eu estava com a minha amiga Betty Bent na biblioteca procurando livros sobre filhotes de cachorro". Para dar mais credibilidade, sinta-se à vontade para acrescentar mais detalhes que não podem ser verificados. Por exemplo, você pode elaborar mais: "Andei pensando em ter um chihuahua, porque li que eles mordem menos as pessoas do que qualquer outro cachorro". É claro que não deve acrescentar tantos detalhes que não consiga memorizar sua história. Sempre há uma possibilidade de que você tenha que repeti-la outro dia. 
  4. Dê a impressão de constrangimento. Pouca gente duvidará de uma história se parecer uma coisa que você não quer admitir. Assim, em vez de contar à diretora que você faltou porque estava no médico, diga a ela que você foi ver o médico porque tinha um terrível problema de diarreia. Ela provavelmente não vai fazer mais perguntas. 
  5. Mais importante, procure ficar perto da verdade. Se você não sentir que está mentindo, também não vai parecer mentirosa. 

Leiam. 

Comente com o Facebook:

22 comentários:

  1. Confesso que quando entrei aqui e vi esse post com o primeiro da lista eu já comecei a olhar mais abaixo para ver os próximos, algo na capa não chamou minha atenção. Contudo, decidi voltar e ler a resenha e UAU!! Adorei a história e acho que ela faz muito meu estilo de leitura, aquela fantasia misturada com modernidade. Porém, ainda acho que a capa tem um ar meio de livro pra garota adolescente. Acho que são os desenhos. ^_^

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Matheus, a história se passa ao longo de seis anos: dos doze aos dezoito da narradora. Apesar das personagens serem jovens, eu diria que a temática é consideravelmente adulta (não no sentido pornográfico, hahahaha). É um livro bom, que não teve toda a atenção que merecia. Acho a capa legal, e de fato ela é destinada para adolescentes, mas até aí, Harry Potter não é uma história para adultos (tanto que a J.K Rowling usa isso para promover Morte Subita) e isso não faz com que ele seja infantil ou ruim.

      Visitarei seu blog!

      Beijos,

      Mel Geve

      Excluir
  2. Eu ainda não conhecia este livro... Mas você falou tão bem que acabou me cativando. Anotado! =)
    Ah, e a capa é muito bonita!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não vai se arrepender. Sério. É incrível.

      Beijo!

      Excluir
  3. mas são só dois volumes #aquelaquetempreguiçadesériesgrandes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isso era pra ser uma pergunta

      Excluir
    2. Clara, não. São três e o terceiro nunca chegou a ser lançado no Brasil.
      Eu só li a continuação depois de quatro anos (quando eu achei) e até então estava feliz e satisfeita com o final de A Cidade das Sombras.

      Acho que são como os livros da série do Robert Landgon(Langdon? sei lá) do Dan Brown: mesmo protagonista, outra aventura, pouquíssima ligação entre as histórias.

      Juro que você vai gostar.

      Excluir
    3. deve ser assim mesmo, porque eu só li o segundo da série e entendi perfeitamente HAHAHAHAHAHAHA

      Excluir
  4. Sempre sempre tive vontade de ler esse livro, mas não conheço ninguém que tenha e não queria comprar se fosse me arrepender depois. Mas tenho em ebook, então talvez de uma chance pra ele.
    Parece ser bom, mas meio infantil :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ó, Percy Jackson é incrível, mas é uma série que eu considero infantil. Em comparação, essa é beeeeem mais adulta.

      A capa dá essa impressão mesmo,de ser para criança, tanto que eu comprei quando era beem mais nova.

      Tem cemitérios, assassinatos, traições, ratos, cadáveres e a máfia. Hahaha.

      As personagens inclusive, ainda no começo do livro, quando estão com 12 anos, parecem mais velhas. Essa é, por sinal, uma característica que eu não gosto do no livro: acho que a autora escreveu como quis e sem determinar a idade. Aí depois, para atrair um publico alvo maior, faria as protagonistas mais novas. Aí as criancinhas também comprariam.

      Só lê. hhaha

      Excluir
  5. O livro parece ser muito bom!
    Um dia (quando a conta bancária permitir) comprarei kkk
    Sua resenha me fez ficar curiosa demais!

    Beijos
    Marta
    As Palavras Fugiram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marta, fico feliz, era esse meu objetivo!

      Compre, sim. É um livro surpreendente. Um dos meus favoritos de tooooodoos do mundo, hahaha.

      Beijos,
      Mel.

      Excluir
  6. Eu amei a resenha e estou super curiosa, mas nunca vi esse livro em lugar nenhum! E eu sou uma rata de livraria, sei localizar tão bem a posição dos livros e quais estão em falta que já me ofereceram um emprego mais de uma vez. Sério.
    Agora, como eu faço para ter Kiki Strike?? Y.Y

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu sonho é trabalhar em uma livraria. Deve ser maravilhoso.

      Então, faz tempo que eu não vejo também. Se você passar na UFF você vai pro Rio se matricular, não vai? Eu dou um jeito de ir também e te empresto, que tal?

      Ó, eu acabei de achar a venda no extra.com, por 36,50, hahaha

      Excluir
  7. Mel, vc fala desse livro de um jeito, que fiquei super curiosa e agora to louca pra ler! Mas também nunca vi ele em lugar nenhum... será que é tão difícil assim de achar? ://

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei.. :(

      Eu comprei o primeiro em 2007 (ou 2006?) e já faz algum tempo que eu não o vejo nas livrarias. Eu posso te emprestar, é que é pouco prático mandar por correio, hahaa.

      To procurando loucamente aqui um e-book. Eu queria que a Kirsten Miller ficasse ryca com a minha ajuda, mas não é minha culpa se o livro sumiu.

      Excluir
    2. ah, qualquer dia eu acho... pode ter em algum sebo, ou na próxima bienal que eu for :) de qualquer forma, vou comprar na primeira oportunidade que aparecer, com certeza! ^^

      Excluir
  8. Vai ter resenha no youtube? rsrs...
    espero que siim! hehe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe se você pedir com jeitinho...

      Excluir
  9. Acabeeeeeeeeeei de comprar! Achei numa feirinha de livros que tava aqui perto de casa por 10 reais! uhu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. YEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEES!!

      Lê. Lê. Sério. Sai do computador e vai ler. Agora.

      E me fala o que achou.

      Meu deus.

      Excluir
    2. Agora, preciso assumir que to meio revoltada de alguém abrir mão desse livro e vender por 10 reais. Eu jamais venderia o meu, hahaha.

      Excluir